Tarifa branca já pode ser solicitada pelo consumidor

A maior parte dos consumidores de energia em todo o país terá a oportunidade de mudar os hábitos e reduzir o valor da conta de luz. Em vigor desde 2018 para grandes consumidores, a tarifa branca de energia foi estendida a quase todos os brasileiros desde o dia 1º de janeiro.

 

A tarifa branca consiste na redução do preço da energia fora do horário de pico e dos horários intermediários. Por isso, envolve três faixas de valores. Nos dias úteis, a cobrança de energia será dividida em três faixas de horário: o horário de ponta (tarifa vermelha) entre o fim da tarde e o início da noite, a faixa intermediária (laranja), uma hora antes e uma hora depois do horário de ponta, e o horário fora de ponta (azul), com custo baixo no restante do dia. Essas cores são adotadas pela Copel. Nos fins de semana e feriados nacionais, a tarifa de energia sempre será cobrada pelo valor fora de ponta (azul). A mudança não valerá apenas para unidades consumidoras da subclasse de baixa renda, atualmente tarifadas em condições vantajosas.

Esse modelo de tarifação é aplicado em países como Canadá, Austrália, Itália, França e Reino Unido.

 

Para aderir à tarifa branca, o consumidor precisará formalizar a opção na distribuidora a partir desse mês. A empresa instalará um novo medidor de energia capaz de registrar o consumo nas diferentes faixas horárias.

 

Mas preste atenção antes de optar pela tarifa branca pois a adesão envolve mudanças de hábito, como usar aparelhos que consomem mais energia, principalmente o chuveiro elétrico, fora dos horários de pico, entre às 17 e 22h. Caso o cliente não preste atenção e mantenha o consumo no horário de ponta, poderá fechar o mês com a conta mais cara. Para saber mais e avaliar se vale a pena optar pela tarifa branca, faça uma simulação pelo site da Copel clicando aqui.

>> Mais notícias

>> Promoções

>> Agenda Cultural

0 Comentários
© Copyright - UNIFM 2018.